Fundação Baiana de Pesquisa Científica e Desenvolvimento Tecnológico, Fornecimento e Distribuição de Medicamentos

Bahiafarma promove aproximação com Laboratórios Centrais de Saúde Pública dos Estados

17 de novembro de 2017
Encontro Lacens

Encontros visam a estreitar relações entre laboratório público baiano e órgãos estaduais para promover o desenvolvimento do Complexo Industrial da Saúde

Dentro do objetivo de promover o desenvolvimento do Complexo Industrial da Saúde, a Bahiafarma iniciou uma série de reuniões com diretores dos Laboratórios Centrais de Saúde Pública dos Estados (LACENs), unidades que compõem a Vigilância em Saúde e são responsáveis pela Vigilância Laboratorial em Saúde Pública do País.

“Como principal fornecedor de testes de diagnóstico para o Ministério da Saúde, a Bahiafarma tomou a iniciativa de fazer esta aproximação com os Lacens, para promover uma importante troca de informações e experiências que podem auxiliar no desenvolvimento cada vez maior do Complexo Industrial da Saúde”, afirma o diretor-presidente da Bahiafarma, Ronaldo Dias.

No primeiro encontro, realizado na sede da Bahiafarma e do qual participaram os diretores dos LACENs da Bahia, Zuinara Maia, do Mato Grosso do Sul, Luiz Henrique Demarchi, e do Pará, Sebastião Licínio Lira, os gestores conheceram os projetos de produção dos kits de diagnóstico e a planta fabril do laboratório baiano, bem como as obras de ampliação da unidade produtiva. Além disso, foi apresentada aos diretores a estrutura do Complexo Industrial da Saúde, do qual a Bahiafarma faz parte, e seu papel no atendimento às necessidades do Sistema Único de Saúde (SUS).

Diretor do LACEN do Pará, Sebastião Lícinio Lira enfatizou a importância do intercâmbio de informações e de poder conhecer de perto projetos da Bahiafarma no setor diagnóstico. “Não tenho dúvida que nos próximos cinco anos a Bahiafarma será uma das empresas que fará parte da história do País no desenvolvimento tecnológico (do setor)”, disse. O diretor do LACEN do Mato Grosso do Sul, Luiz Henrique Demarchi, acrescenta que a transmissão de conhecimento “propicia uma maior resolutividade e eficiência na vigilância laboratorial” do País.

“Estamos incentivando a troca de conhecimento no momento que marca o primeiro ano de fornecimento de testes rápidos da Bahiafarma para o Ministério da Saúde”, comenta Ronaldo Dias. O executivo lembra que, após o início da fabricação dos kits para diagnóstico de infecção por Zika vírus, a Bahiafarma desenvolveu uma ampla linha de soluções de diagnóstico para agravos de interesse para saúde pública. “Hoje, já fornecemos para o ministério testes rápidos de Zika, Dengue e Febre Chikungunya e obtivemos registros na Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) para dispositivos de diagnóstico de uma série de infecções, como HIV, Sífilis e Febre Amarela”, ressalta.

Voltar