Fundação Baiana de Pesquisa Científica e Desenvolvimento Tecnológico, Fornecimento e Distribuição de Medicamentos

Bahiafarma participa da 1ª Conferência de Saúde das Mulheres

1 de agosto de 2017
Conferencia 111

Laboratório público apresenta testes rápidos de diagnóstico de infecção por Zika vírus no evento

O laboratório público do Estado da Bahia, a Bahiafarma, participa da 1ª Conferência de Saúde das Mulheres do Estado da Bahia, que ocorre entre 31 de julho e 2 de agosto no Hotel Fiesta, em Salvador. Além do apoio institucional à conferência, a Bahiafarma apresenta, em estande próprio, o teste rápido para diagnóstico de infecção por Zika vírus Zika IgG / IgM Combo, que está disponível nos postos de saúde de todo o País e que é capaz de identificar, em até 20 minutos, se um paciente está com a doença ou se já foi infectada no passado.

A apresentação do teste no evento tem como alvo principal mulheres grávidas ou com intenção de engravidar, que são grupos prioritários para a aplicação do exame no sistema público de saúde, por causa das complicações que a infecção pelo Zika vírus podem causar em fetos e recém-nascidos, como a microcefalia.

Desafios
A 1ª Conferência de Saúde das Mulheres do Estado da Bahia, evento preparatório para a etapa nacional,  apresenta um panorama sobre o tema e aponta debates com pautas tão diversas como violência de gênero e desafios para implementar uma atenção integral à saúde da mulher.

De acordo com o secretário da Saúde do Estado da Bahia, Fábio Vilas-Boas, que também coordena a conferência, este é um momento de fortalecimento do controle social, análise do Sistema de Único de Saúde (SUS) e definição de diretrizes para políticas públicas. “Este é um evento que aborda a saúde da mulher sob um aspecto mais amplo, não apenas vinculado a maternidade”, afirma o secretário. “Aqui debateremos a necessidade da equidade e proteção contra a violência de gênero.”

Vilas-Boas pontua ainda que, historicamente, muitas mulheres foram responsáveis pela construção e fortalecimento da saúde pública no País. “Na Bahia, figuram mulheres importantes como Ana Nery, primeira enfermeira do Brasil, Irmã Dulce, fundadora do maior hospital filantrópico da Bahia, e Lorene Pinto, primeira mulher a ocupar o cardo de diretora da faculdade de medicina da Bahia”, destaca o titular da pasta da Saúde. “Assim como elas, as delegadas desta conferência resistem e lutam por um SUS equânime.”

O presidente do Conselho Estadual de Saúde, Ricardo Mendonça, ressalta a importância da integração de todas as esferas sociais nas discussões. “Estamos garantindo o direito de debate à população historicamente excluída e fazendo valer o princípio da equidade no SUS, com mais mulheres, idosas, jovens, negras, lésbicas, trans, indígenas, mulheres das comunidades tradicionais, mulheres com deficiências e necessidades especiais”, afirma.

Até 2 de agosto, quando serão eleitas as delegadas para a 2ª Conferência Nacional, as discussões serão centradas em quatro eixos temáticos: O papel do Estado no desenvolvimento socioeconômico e ambiental e seus reflexos na vida e na saúde das mulheres; O mundo do trabalho e suas consequências na vida e na saúde das mulheres; Vulnerabilidade na Política Nacional de Atenção Integral à Saúde das Mulheres, e Políticas Públicas para Mulheres e Participação Social.

Voltar