Fundação Baiana de Pesquisa Científica e Desenvolvimento Tecnológico, Fornecimento e Distribuição de Medicamentos

Bahiafarma mostra linha de testes rápidos na Feira Soluções para a Saúde – Zika

21 de junho de 2017
TesteZikanovo

Primeira edição do evento, em Salvador, reúne soluções inovadoras, pesquisadores e criadores de iniciativas de combate e prevenção às arboviroses

Entre 8 e 10 de agosto, Salvador recebe a primeira edição da Feira de Soluções para a Saúde e do Seminário Internacional da Unicef: Zika e Infância, nos quais serão apresentados produtos, serviços e ações voltados para o combate, prevenção, diagnóstico e tratamento da Zika, Dengue e Chikungunya.

A Bahia foi escolhida para ser sede do evento por concentrar experiências exitosas, a exemplo dos testes rápidos para diagnóstico das três doenças, que são produzidos e distribuídos pelo laboratório público do Estado, a Bahiafarma, para todo o Brasil, permitindo assim, o diagnóstico em até 20 minutos.

A Bahiafarma será um dos expositores da feira, com um estande no qual apresentará sua linha de testes rápidos, que está sendo disponibilizada para a população pelo Ministério da Saúde, por meio do Sistema Único de Saúde (SUS).

“A interlocução com a sociedade é fundamental para que a gente possa entender as ferramentas e soluções que a população deseja para, assim, cumprir nosso papel como laboratório público oficial”, afirma o diretor-presidente do laboratório público baiano, Ronaldo Dias. “Temos contribuído ativamente e trabalhado em conjunto com o ministério para prover soluções, sobretudo na área diagnóstica. A linha de testes rápidos para diagnóstico das arboviroses, por exemplo, já está disponível para a população em todo o território nacional, auxiliando no combate às doenças e no tratamento dos pacientes por meio do diagnóstico precoce.”

Além de mostrar produtos de saúde dirigidos ao combate às arboviroses, o evento contará com uma rica programação, que inclui apresentação de soluções de caráter social, industrial e de serviços que podem, em muitos casos, ser replicadas por diversas pessoas e instituições em todo o Brasil e até no exterior. E a criatividade é o traço comum entre essas iniciativas.

Esse é o caso dos chamados “adequadores posturais de baixo custo”. Feitos em papelão, esses adequadores são cadeirinhas para crianças com síndromes ligadas às arboviroses e que têm dificuldades em se posicionar para se alimentar ou para receber estimulação motora apropriada. Para a produção dessas cadeirinhas, as crianças são medidas e recebem uma cadeirinha feita especificamente para cada uma delas. Pais, profissionais e voluntários participarão de uma oficina, durante a Feira, na qual aprenderão a fazer os adequadores com a responsável por esta iniciativa, a fisioterapeuta e pesquisadora Dafne Herrero.

Outra atração da Feira será o Hackathon, maratona tecnológica em que os participantes serão desafiados a propor o desenvolvimento de softwares ou aplicativos que facilitem a prevenção e o combate às arboviroses como zika, dengue e chikungunya.

Nos dois primeiros dias da Feira, a programação contempla também o Seminário Internacional da resposta brasileira ao Zika vírus, organizado pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) e parceiros. O evento é uma oportunidade de aprendizado sobre as melhores práticas de prevenção do mosquito Aedes aegypti e as estratégias de apoio às mulheres gestantes, famílias e cuidadores de crianças com a Síndrome Congênita do Zika vírus (SCZv) e outras deficiências em âmbito nacional e internacional.

Durante o Seminário, experts nacionais e internacionais, gestores, pesquisadores, conselheiros de direitos, profissionais de saúde, educação e assistência social e mulheres mães e cuidadores de crianças compartilharão as lições aprendidas em relação a estimulação de crianças com alterações no desenvolvimento no ambiente domiciliar e escolar, ao apoio psicossocial e na garantia de direitos. As vagas neste seminário são limitadas e haverá inscrição prévia.

A Feira de Salvador será a primeira de uma série de cinco – cada uma realizada em uma região do País. Todas elas reúnem pesquisadores, instituições dos setores público e privado e movimentos sociais interessados e comprometidos com o combate às doenças transmitidas pelo Aedes aegypti. Da programação, constam atividades como rodas de conversa, apresentações, mesas redondas, oficinas, estandes, manifestações culturais e espaços de comunicação em saúde.

As feiras fazem parte do projeto Plataforma de Vigilância de Longo Prazo para Zika vírus e microcefalia no âmbito do SUS, financiado pelo Ministério da Saúde e Fiocruz. Em Salvador, a Feira Soluções para a Saúde – Zika incorpora parceiros importantes como a Universidade de Brasília (UnB), o Conselho Regional de Fisioterapia e Terapia Ocupacional da Primeira Região (Crefito1), o Conselho Nacional das Secretarias Municipais da Saúde (Conasems), o Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass), o Fundo das Nações Unidas para a Igualdade de Gênero e o Empoderamento das Mulheres (Onu Mulheres), o Fundo de População das Nações Unidas (Unfpa), o Unicef, a Rede Nacional de Especialistas em Zika e Doenças Correlatas (Renezika), o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai/Cimatec) e Sistema Fieb.

A iniciativa conta com o patrocínio da Organização Panamericana da Saúde, da Secretaria de Saúde do Estado da Bahia, Agência Nacional de Vigilância Sanitária e dos seguintes órgãos do Ministério da Saúde: Departamento de Ciência e Tecnologia, Departamento de Assistência Farmacêutica e Insumos Estratégicos e Departamento do Complexo Industrial e Inovação em Saúde.

A primeira edição da Feira Soluções para a Saúde – Zika será realizada no Cimatec (Av. Orlando Gomes, 1845 – Piatã, Salvador – BA). Mais informações estão disponíveis no site www.feirazika.unb.br.

Voltar